quarta-feira, 4 de novembro de 2009

As Raízes da Tradição


Esta é a capa do meu livro, de poesias gauchescas.
O livro está a venda pelo e-mail: fernandoalmeida1954@gmail.com
Ou pelo cel. 051-9975-8976 preço do livro R$. 10,00 + frete. 



As Raízes da Tradição

Eu tenho sangue de índio
Com alma de farrapo
Sou Rio Grande de 35
Com berro de 44
Sou Rio Grande de 23
De chimango e maragato.

Com determinação e valentia
O índio morreu pela terra
Somos herdeiros desta raça
Seja na paz ou na guerra
Hasteamos nossa bandeira
Onde o touro pampa berra.

Do antepassado
Brotou este gaúcho
De pura autenticidade
Para agüentar o repuxo
Do tinido de adaga
E fumaça de cartucho.

E assim se fez o gaúcho
Peleando noite e dia
Fez a lua de candeeiro
Seguindo a estrela guia
Hoje esta terra é nossa
Cantamos com galhardia.

Neste pago sobre a pampa
Até além das fronteiras
Onde o céu é o limite
O mar e as cordilheiras
A cavalo de espada em punhos
Lutava-se sem trincheiras.

Estância de São Pedro
Canabarro foi capataz
Botou sinuelo na tropa
Pastoreando a paz
Anistiando os valentes
Com perseverança tenaz.

Do passado para o futuro
Com direito assegurado
O taura doou a vida
Com seu sangue derramado
A patas de cavalos
Este chão foi demarcado.

Tradição é como uma árvore
Na barranca de um rio corrente
Com suas raízes desgastadas
Pela força das enchentes
Cresce, floresce e dá frutos
Espalhando sua semente.

Uma árvore morre
Quando é arrancada do chão
Fui plantado nesta terra
Enraizado de alma e coração
Mantendo sempre acesa
A chama da tradição.

Quero plantar minha semente
Nesta terra onde eu nasci
Para brotar mais tauras
Que calce esporas desde guri
E que reponte para o futuro
Só os costumes daqui.  

Pra ti Mulher


É pra ti mulher,
A pura essência da flor,
O símbolo da humanidade
Que foi feita do amor.
Força, charme, elegância,
Com sorriso encantador
Nas horas boas ou ruins
Sempre superando a dor.

Não existe mulher feia,
São diferenças naturais
Umas menos vaidosas
E outras que são fatais,
Loiras, negras, morenas,
Ruivas, índias, orientais
O que seria de nós
Se todas fossem iguais.

Seja vovó, mãe, tia,
Amiga, esposa ou namorada
Um homem sem mulher
Nesta vida não é nada,
Quando ao lado do homem
É parceira, amante, amada
Seguiremos para sempre
Unidos na mesma estrada.

Nossa Virgem Maria,
Santa mãe de Jesus,
Um dia também sofreu
Ao ver seu filho na cruz,
Ilumina nossas mães
Pro bom caminho conduz,
Para que não sofram tanto
Por quem deram à luz.

Amor de mãe é eterno,
E seu brilho incomparável,
Sua alma é pura
Seu esforço incansável,
É a soberana das jóias
Para o ciclo da vida
É assim que a comparo
Minha mãe querida.

Uma boa esposa
Todo homem sonha ter,
Esta mulher maravilha,
Motivo do meu viver
Às vezes me faz sorrir
Outras me faz sofrer,
De uma mulher eu nasci
Por uma mulher quero morrer.